Como montar um cafeteria

  • Home / Como montar um cafeteria

Como montar um cafeteria

Abrir um pequeno café é o sonho de muitos executivos que pensam em deixar o escritório de lado. Mas se engana quem pensa que entrar no ramo é simples.

Para ter sucesso, um café exige uma grande dose de dedicação do proprietário. Fazer um bom planejamento, contratar os profissionais certos, investir nos equipamentos e produtos adequados – tudo isso exige muito preparo.

Confira a seguir as dicas da especialista Cleia Junqueira, coordenadora do Centro de Preparação de Café do Sindicafé de São Paulo e diretora da ACBB (Associação Brasileira de Café e Barista) para abrir um café de sucesso:

Faça um curso de barista

O primeiro passo para quem pensa em entrar no ramo é entender tudo sobre café. Para poder contratar os funcionários certos, escolher os equipamentos e produtos adequados e supervisionar a qualidade dos serviço no seu estabelecimento, o profissional deve aprender quais são os passos e ingredientes para se fazer um bom café, “arte” ensinada no curso de barista. “É impressionante o número de pessoas que se aventuram a abrir uma cafeteria sem saber fazer um café”, conta Cleia. “Todo proprietário é obrigado a saber ir para a máquina fazer um café. Primeiro para poder ajudar em horários de pico se for preciso e, segundo, para saber cobrar o trabalho do barista”, explica.

Elabore um plano de negócios

Como em qualquer negócio, antes de abrir um café é necessário fazer um planejamento detalhado. Não existe uma fórmula única, mas é importante que o documento contenha dados como o investimento necessário para abrir o negócio – incluindo ponto, reformas, decoração, equipamentos, capital de giro, funcionários, etc. –, projeção de faturamento, análise do mercado e da concorrência. O objetivo principal é identificar se há de fato uma oportunidade para lucrar com o negócio e evitar surpresas desagraveis na hora de colocar a mão na massa. Segundo Cleia, o investimento médio para abrir um café é de 250 mil reais.

Encontre o ponto ideal

Encontrar um bom ponto é absolutamente fundamental para o sucesso da empreitada. “É importante que seja um local que passe muita gente”, define Cleia. Segundo a especialista, uma cafeteria só é um bom negócio se tiver um alto volume de cafés vendidos. Para ter um bom faturamento, é preciso vender de 300 a 400 xícaras de café ao dia.“O lucro na venda um café é alto. Uma xícara de expresso custa R$ 0,40 e é revendida por R$ 3,50 a R$ 4. O markup é alto, mas o valor unitário é baixo, portanto é um negócio que requer volume”, enfatiza. E, para ter volume, é preciso ter visibilidade, por isso é fundamental escolher um ponto bem localizado.



Crie um ambiente agradável

A atmosfera é tudo em um café. Fazer com que o cliente se sinta à vontade é fundamental para conquistar um público fiel. “É importante investir em móveis confortáveis e iluminação adequada”, destaca Cleia. Alguns empreendedores gostam de mesclar o café com uma livraria ou revistaria, por exemplo. Oferecer conexão Wi-Fi também pode ser um diferencial, mas o proprietário deve pesar os prós e contras. “Tem muita gente que usa a cafeteria como escritório. Compra uma água e passa o dia ocupando uma mesa. Tem até casos de briga por tomada em alguns cafés”, alerta a especialista.

Invista em um bom cardápio

Para garantir receitas adicionais, é importante incluir itens variados no cardápio, como salgados e doces. Também é interessante incluir uma opção de almoço. “Pode ser uma massa ou uma quiche. Tem fornecedores que já entregam isso pronto, é só esquentar”, aconselha Cleia. Uma vez definido o menu, é fundamental dar uma atenção especial às fotos do cardápio. “É o que vai fazer o cliente experimentar as novidades da casa”, destaca a especialista.

Escolha bem os fornecedores

A qualidade dos equipamentos e da matéria prima utilizada impacta diretamente no café que será servido ao cliente. “É preciso visitar os fornecedores para entender quem oferece o melhor custo-benefício, atendimento e assistência técnica”, destaca Cleia. Entre os equipamentos e utensílios necessários para começar o negócio estão geladeira, microondas, liquidificador, espremedor de suco e louça, entre outros – o mix varia conforme o tamanho e perfil do negócio. Um item indispensável é a máquina de expresso, que pode ser alugada (o custo médio é de R$ 500 a R$ 700) ou comprada (R$ 18 mil a R$ 22 mil). Uma dica da especialista é utilizar recursos do BNDES para adquirir o equipamento. “A prestação sai pelo mesmo preço do aluguel e em três anos a máquina é sua”, diz.  Utilizar um grão de boa qualidade na hora de fazer o café também é fundamental. “O empreendedor pode trabalhar com o produto mais caro que quiser, porque se tiver volume, vai ter lucro”, enfatiza a especialista.



Contrate bons profissionais

Ter um bom barista atrás do balcão é um fator decisivo para o sucesso do negócio. Um profissional do ramo começa ganhando um salário mínimo, mas os bons baristas chegam a ganhar até R$ 1,5 mil mensais. “Além de dominar a técnica, é importante que seja uma pessoa atenciosa,  que saiba conversar com os cliente”, aponta Cleia. Também é fundamental que o profissional mantenha-se atualizado e atendo as tendências do segmento. “O cliente que aprecia café gosta de conversar sobre o assunto e o barista tem que estar pronto para falar”, diz a especialista.

Promova o seu café

Com tudo pronto, é hora de promover o seu café. Procure a ajuda de especialistas para criar uma marca e desenvolver a identidade visual do negócio. Realizar eventos culturais, como exposições e lançamentos de livros, é um caminho para chamar a atenção da freguesia. Outra dica é criar um cartão de fidelidade, oferecendo aos clientes recorrentes algum bônus, como um café grátis a cada dez cafés pagos.

Leave Comments